Pular para o conteúdo

Tudo o que você deveria saber sobre obesidade

Importância de controle da obesidade

Mais de 600 milhões de pessoas. Esse é o número total de obesos atualmente segundo uma pesquisa realizada nos Estados Unidos. Além de serem preocupantes, os dados revelam outro fato alarmante: a obesidade atinge principalmente os jovens.

Este é um problema que precisa ser combatido o mais cedo possível para que a pessoa nessa condição não sofra as consequências, que vão desde a perda da autoestima até à maior possibilidade de desenvolver doenças cardíacas ou um câncer.

Neste artigo, você terá a arma mais poderosa nessa batalha: a informação.

Saiba tudo sobre a obesidade e quais são as formas de tratamento disponíveis no mercado.

O excesso de gordura corporal

Como a obesidade se desenvolve?

A alimentação é fundamental para nossa sobrevivência. Entretanto, com a criação de eletrodomésticos, televisores, entre outros itens que vieram facilitar e entreter nossas vidas, surgiu um grande problema: o sedentarismo.

A partir do momento em que nós deixamos de nos exercitar a contento, ou seja, em uma quantidade que utilize toda a caloria ingerida, acabamos estocando essa energia, que se transforma em gordura.

"Quando devo me preocupar com a obesidade" — você se pergunta.

Simples: quando esse hábito de comer demais e gastar de menos se tornar uma regra!

Como pode ser feito o diagnóstico?

A obesidade é determinada com base no cálculo do Índice de Massa Corporal (IMC). Para isso, basta pegar o peso atual da pessoa e dividi-lo pelo quadrado da altura em metros. Com o resultado em mãos, é preciso consultar a classificação do IMC.

Quem tem um IMC abaixo de 18,5 está com menos peso do que o ideal, enquanto os que ficam entre 18,5 e 24,9 estão com o peso normal. Do IMC 25 ao 29,9 é sinal de sobrepeso sendo que do 30 adiante a pessoa é considerada obesa.

Como prevenir a obesidade?

Assim como não existe uma idade específica para que essa condição apareça, também não há restrições para começar a tomar medidas preventivas. Aqui, vamos abordar especificamente como você pode prevenir a obesidade na adolescência.

Esse recorte não é um reflexo apenas do estudo que mencionamos na abertura deste artigo. No Brasil, 8,4% dos adolescentes estão obesos e suscetíveis a manterem essa doença nas demais fases da vida. Sendo assim, quanto mais rápido agirmos, melhor para o jovem.

A primeira coisa a se fazer é conferir o histórico genético do adolescente. Se o pai ou a mãe forem obesos, as chances dos filhos seguirem o mesmo caminho são de 40%; caso ambos tenham a doença, a probabilidade sobre para 80%. Portanto, ao constatar a possibilidade o cuidado com a alimentação deve ser ainda maior.

Um segundo procedimento que você pode adotar é o incentivo à prática de exercícios físicos. Apenas atente-se para garantir que o jovem goste dessa atividade, assim o risco de ele abandonar o barco no meio do caminho será menor.

Como tratar a obesidade?

Uma forma de reverter essa situação de maneira natural é investindo no tratamento saudável para obesidade. A receita você já deve ter adivinhado: dieta balanceada e exercícios regulares.

Como tratar a obesidade

No entanto, para que esse tratamento dê resultado é indispensável que o paciente trabalhe também o aspecto psicológico durante a jornada.

Quando começamos uma dieta é normal que percamos muito peso no início. Isso acontece porque nós pegamos nosso organismo de surpresa, mas depois nosso corpo fica em alerta e guarda mais energia.

Por isso, a perda de peso costuma ser gradativamente mais lenta com o passar do tempo. Nessas horas é necessário que a pessoa mantenha a calma e a perseverança.

Outra opção disponível é o tratamento cirúrgico da obesidade. A bariátrica, como é popularmente conhecida, é indicada para as pessoas que estão em um quadro mais grave da doença. Algumas das técnicas utilizadas nessa cirurgia são a gastrectomia vertical e a banda gástrica ajustável.

Estrias - Uma das consequências da obesidade

As estrias são cicatrizes que se formam quando há destruição de fibras elásticas e colágenas na pele, normalmente causada por um estiramento da pele. O aumento de peso rápido e/ou intenso pode ser a causa destas estrias.

Estrias abdominais e microagulhamento

As linhas são formadas por causa da diminuição da espessura da derme e da epiderme. Elas podem coçar e arder, mas em geral não apresentam sintomas com seu aparecimento.

É uma das causas mais frequentes de procura nas clínicas de Estética e nos consultórios dermatológicos. às vezes chega a ser estigmatizante e uma causa frequente de baixa estima em adolescentes.

Vários tratamentos e cuidados são importantes após a instalação da estria. Atualmente um dos procedimentos mais realizados é o Microagulhamento das estrias.Vários profissionais se especializaram neste procedimento e vários cursos de qualidade estão sendo oferecidos na internet para profissionais de estética O curso de microagulhamento sem mistérios on line é um dos mais realizados e valorizados.

Agora que você sabe muito sobre a doença, não pense duas vezes antes de ajudar alguém que esteja caminhando em direção ao excesso de peso. Visite um especialista para ter todo o suporte necessário na hora de avaliar o caso e as formas de tratamento mais adequadas.

O que você achou deste artigo? Participe do nosso blog comentando e sugerindo temas para os próximos conteúdos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *